Anúncio

Collapse
No announcement yet.

O primeiro grande passo no analógico "o gira discos"

Collapse
X
 
  • Filter
  • Horas
  • Show
Clear All
new posts

  • O primeiro grande passo no analógico "o gira discos"

    Lanço este desafio ao fórum não só por ser um assunto que neste momento me interessa particularmente, assim como eventualmente poderá ser útil a muitos participantes.
    A ideia é a seguinte;
    Para todos aqueles que são possuidores de um gira discos de entrada com qualidade (ou não), tipo rega, project ou similar e pretendam dar um bom passo em frente, sem entrar em valores proibitivos, quais as melhores opções no mercado?
    Sem querer limitar as intervenções seria ideal que a discussão tivesse como alvo o "gira" própriamente dito, isto é, sem termos em conta o braço e célula que são passíveis de melhoramento futuro.
    Como se torna necessário estabelecer algum critério "orçamental" e tendo em conta que um gira de entrada (+ braço+célula) oscila entre os €500 a €700, propunha (é apenas uma sugestão) que a "plataforma" escolhida não ultrapassa-se o triplo desse valor+- €2.000, e isto apenas para que as propostas não se dirijam directamente para o sector de high end, muito desejado e igualmente caro.

    Óbviamente dou o primeiro passo indicando ;

    Michell Gyro SE
    e
    Pró-ject RPM 9.1

    Alguém conhece bem estes aparelhos e queira indicar a sua performance e características que o indiquem como solução.

  • #2
    Re: O primeiro grande passo no analógico "o gira discos"

    fjbl escreveu Ver Mensagem
    Lanço este desafio ao fórum não só por ser um assunto que neste momento me interessa particularmente, assim como eventualmente poderá ser útil a muitos participantes.
    A ideia é a seguinte;
    Para todos aqueles que são possuidores de um gira discos de entrada com qualidade (ou não), tipo rega, project ou similar e pretendam dar um bom passo em frente, sem entrar em valores proibitivos, quais as melhores opções no mercado?
    Sem querer limitar as intervenções seria ideal que a discussão tivesse como alvo o "gira" própriamente dito, isto é, sem termos em conta o braço e célula que são passíveis de melhoramento futuro.
    Como se torna necessário estabelecer algum critério "orçamental" e tendo em conta que um gira de entrada (+ braço+célula) oscila entre os €500 a €700, propunha (é apenas uma sugestão) que a "plataforma" escolhida não ultrapassa-se o triplo desse valor+- €2.000, e isto apenas para que as propostas não se dirijam directamente para o sector de high end, muito desejado e igualmente caro.

    Óbviamente dou o primeiro passo indicando ;

    Michell Gyro SE
    e
    Pró-ject RPM 9.1

    Alguém conhece bem estes aparelhos e queira indicar a sua performance e características que o indiquem como solução.
    Eu tenho um Michell Gyrodec SE e estou muito satisfeito. Devo dizer que não comparei A+B com nenhum concorrente, mas sejamos francos: alguem acha que consegue ouvir, em comparação directa, 2 GD em igualdade de circunstâncias (mesmo braço, mesma célula, mesmo resto de hardware?)
    Porque é que o comprei?
    -críticas muito boas
    -lindo de morrer
    -possibilidade de lhe poder acoplar grande quantidade de braços, de elevada qualidade
    -possibilidade de poder continuar a melhorar a performance
    A respeito desta última razão, já lhe fiz um upgrade (aliás, já o tinha encomendado à partida), que é a PSU externa. Irei fazer o segundo upgrade recomendado, que é a substituição do prato pelo do Orbe. Após esta alteração, a grande diferença para o Orbe consiste em que este último tem um sistema de dupla suspensão por molas, enquanto o Gyrodec só tem uma; a fonte de alimentação do Orbe também é mais "vistosa", mas duvido que acrescente algo à do Gyrodec.

    Outra das vantagens á partida do Michell, é que é um upgrade quase que diria que "lógico" para possuidores de Regas, pois durante muito tempo (antes da própria Michell começar a fabricar braços) era o RB300 o braço recomendado pela Michell...

    No meu Gyrodec, instalei logo à partida um excelente braço, um Origin Live Encounter (desde há alguns meses também disponível em Portugal), que tem a mesma furação dos Rega e tem críticas fabulosas e toca, de facto, muito bem.
    O vendedor inglês disse-me que o recomenda em detrimento do SME V!
    E pronto, dei o meu contributo...

    Comment


    • #3
      Re: O primeiro grande passo no analógico "o gira discos"

      jdickson escreveu Ver Mensagem
      Outra das vantagens á partida do Michell, é que é um upgrade quase que diria que "lógico" para possuidores de Regas, pois durante muito tempo (antes da própria Michell começar a fabricar braços) era o RB300 o braço recomendado pela Michell...

      No meu Gyrodec, instalei logo à partida um excelente braço, um Origin Live Encounter (desde há alguns meses também disponível em Portugal), que tem a mesma furação dos Rega e tem críticas fabulosas e toca, de facto, muito bem.
      Tanto os Origin como os Michel são braços Rega modificados. Portanto, fica tudo em família.
      Network Stereo Transports for Hi-Fi systems.
      Visite-nos em www.crucial-developments.com
      [email protected]
      http://www.facebook.com/crucial.developments http://twitter.com/crucialdevelop

      Comment


      • #4
        Re: O primeiro grande passo no analógico "o gira discos"

        movie_fan escreveu Ver Mensagem
        Tanto os Origin como os Michel são braços Rega modificados. Portanto, fica tudo em família.
        Correcção: o 1º braço fabricado pela Origin Live era de facto, um Rega modificado. Mas a partir do Silver, toda a concepção é completamente diferente.

        Comment


        • #5
          Re: O primeiro grande passo no analógico "o gira discos"

          jdickson escreveu Ver Mensagem
          E pronto, dei o meu contributo...
          E deu muito bem.
          E quanto a afinações é problemático(complexo) ou é tipo "ready to use"?

          Comment


          • #6
            Re: O primeiro grande passo no analógico "o gira discos"

            jdickson escreveu Ver Mensagem
            Correcção: o 1º braço fabricado pela Origin Live era de facto, um Rega modificado. Mas a partir do Silver, toda a concepção é completamente diferente.
            Mas olha que até o Silver é um Rega. Pelo menos, parece.
            Network Stereo Transports for Hi-Fi systems.
            Visite-nos em www.crucial-developments.com
            [email protected]
            http://www.facebook.com/crucial.developments http://twitter.com/crucialdevelop

            Comment


            • #7
              Re: O primeiro grande passo no analógico "o gira discos"

              fjbl escreveu Ver Mensagem
              E deu muito bem.
              E quanto a afinações é problemático(complexo) ou é tipo "ready to use"?
              Bem, tem que se montar...mas isso normalmente é feito na casa do comprador e é feito por quem vende (e, forçosamente, sabe). No meu caso, comprei na Viasónica e foi o Rui Borges quem o montou.
              Estupidamente, não prestei atenção quando ele afinou as molas da suspensão, que o único aspecto em relação ao qual convem de vez em quando, verificar e, eventualmente, reafinar.
              De resto, no problema...

              Comment


              • #8
                Re: O primeiro grande passo no analógico "o gira discos"

                Bom dia ,

                Tenho um RPM 9.1 X à cerca de dois anos. A versão X tem um plinth em acrílico em vez de MDF. Não o pude comparar directamente com muitos giradiscos mas o som é bastante bom em toda a banda. Apesar do pés niveladores de sorbutano é bastante sensível ao local onde é colocado. A solução mais fácil é coloca-lo numa mesa ou prateleira com tampo em MDF. O som fica macio e envolvente mas o recorte do grave está comprometido. Toca bastante pior sobre granito mas o grave fica imediatamente melhorado. Durante estes dois anos desenvolvi uma base pesada para ele que tem um bom compromisso entre uma situação e a outra. Se houver interesse posso indicar pormenores mais tarde. O braço de fibra de carbono é leve e rígido. Se não houver celular de baixa compliancia não faz sentido muda-lo. Usei-o sempre com uma Ortofon 2M Blue (MM).
                Esta célula é muito acessível e tem um som muito consistente pondo a musica cá fora. Apresenta um nível de detalhe e informação imbatível para o preço. O seu maior defeito é que não é muito quente de timbres.

                O Project 9.1 em cima de uma base com controlo de vibrações tal como o tenho apresenta um som dinamico aberto com um médio cá fora e bem defenido. Não tem contudo a finura dos melhores giradiscos com que os comparei directamente. ( os Garrard e os Lin) Esta falta de finura vem claramente do giradiscos e não do braço ou da celula. Nestas comparações apesar da derrota foi claro que o som dele era bastante equilibrado e nunca foi posto a ridículo em nenhuma situação.
                Para mim é claramente merecedor do preço e continuo a ouvi-lo apesar de ter adquirido um Garrard 401 recentemente.


                Cumprimentos

                Comment


                • #9
                  Re: O primeiro grande passo no analógico "o gira discos"

                  Uma alternativa muito viável será o caminho da Clearaudio... neste caso, o investimento realizado não é desperdiçado, quando chega a altura de nos lançarmos para vôos mais altos, dada a possibilidade de upgrades, mantendo o investimento base. Temos, por exemplo, a gama Champion e a gama Solution.

                  abraços a todos e boas audições,
                  Francisco Raimundo

                  Comment


                  • #10
                    Re: O primeiro grande passo no analógico "o gira discos"

                    Só para ilustrar porque uma " imagem vale por mil palavras".
                    Click image for larger version

Name:	michell_gyrose.jpg
Views:	1
Size:	59.3 KB
ID:	507534Michell gyro seClick image for larger version

Name:	rpm91.jpg
Views:	1
Size:	20.1 KB
ID:	507535Pro-ject rpm 9.1

                    Acrescentando alguma informação à participação de Sousfa
                    Motor DC isolado do plinth em acrílico ou MDF, isolamento feito através de 3 pés em "Sorbothane®-damped aluminium cones".
                    Sistema "belt drive".
                    Prato em acrílico 3,5 KG.
                    Normalmente acompanhado por um braço em fibra de carbono, embora permita outras soluções.
                    Não consegui determinar se existe algum tipo de suspensão, mas parece que não.
                    Além da natural evolução braço célula, não sei se será possível outro tipo de up- grade.
                    Já agora caro forista Sousfa, como se ajusta a tensão da correia?

                    Vou investigar os Clearaudio.

                    Comment


                    • #11
                      Re: O primeiro grande passo no analógico "o gira discos"

                      clearaudio champion
                      Click image for larger version

Name:	lw_championbasic_vor.jpg
Views:	1
Size:	22.1 KB
ID:	507536
                      Click image for larger version

Name:	CLRSOLN.jpg
Views:	1
Size:	6.4 KB
ID:	507537
                      clearaudio solution

                      Embora existam diferenças entre os modelos a filosofia de construção parece similar.
                      O acrílico é rei e senhor.
                      Sistema belt drive.
                      Motores separados do chassis.
                      Creio que o isolamento é assegurado pelos pés.
                      Qualquer deles permite uma vasta solução de braços.
                      São comercializados sem braço.
                      Permitem realmente ir realizando up grades sucessivos.
                      Alguém tem estas máquinas?

                      Comment


                      • #12
                        Re: O primeiro grande passo no analógico "o gira discos"

                        Eu tenho este (e mais um outro)... por acaso agora está emprestado... mas já alguma malta daqui o ouviu tocar.

                        Comment


                        • #13
                          Re: O primeiro grande passo no analógico "o gira discos"

                          Bom dia fjbl,

                          A tensão de correia no Project é ajustada por afastamento do motor ao prato do giradiscos. O RPM 9.1 X vem com espaçador para garantir que o cliente o coloca sempre à mesma distancia conforme determinado pela fabrica. Experimentei tensões de correia diferentes e acabei por coloca-lo na posição de fabrica. Menos tensão tem um som mais arejado com menos grão mas perde completamente o sentido de ritmo e com ele o mais importante , a musica. O motor pode ser colocado em várias posições equidistantes do prato tendo eu preferido alinha-lo de forma a que o centro do motor o do prato e o eixo do braço estejam numa linha recta. A diferença não é grande mas ouve-se. O braço em fibra de carbono não é o ponto fraco do sistema e é campeão preço qualidade. Existem alguns Lin que estão a ser vendidos bem caros com um braço igual e tocam muito bem. Neste caso o braço tem forçosamente de ter 9" e a sua massa equivalente é de 8g. Isto é muito bom para celulas de ultra alta compliancia tipo Shure V15 e serve mas médias compliancias sem problemas. É contudo "incompativel" para células de baixa compliancia como a Denon DL 103. Existe sempre a possibilidade de se acrescentar massa na ponta do braço mas existe muito pouco espaço para o fazer.

                          Os três "Sorbothane®-damped aluminium cones" são a unica suspensão que o giradiscos tem e é aqui que penso que se pode investir para melhorar o desempenho. Tocam melhor um pouco desenrroscados do que totalmente enroscados para o mesmo nivel de nivelamento. Esta suspensão tem um bom desempenho no médio agudo mas para a zona médio grave simplesmente não tem nem elastecidade nem curso sufeciente para ser eficiente.

                          Cumprimentos

                          Last edited by Sousfa; 04-09-2010, 12:58.

                          Comment


                          • #14
                            Re: O primeiro grande passo no analógico "o gira discos"

                            MikeF escreveu Ver Mensagem
                            Eu tenho este (e mais um outro)... por acaso agora está emprestado... mas já alguma malta daqui o ouviu tocar.

                            GRRR.....Que raiva!
                            Logo após comprar o meu Gyrodec ouvi-o no Still vinyl e no Audio show e adorei!
                            Se eu soubesse...
                            Então com o braço Reed
                            Mas ainda faço um disparate, ó se faço!

                            Comment


                            • #15
                              Re: O primeiro grande passo no analógico "o gira discos"

                              Assim não vale !!!???.
                              Desembrulhem lá o segredo. Nome da máquina e qualquer coisita da performance e filosofia construtiva.
                              Agradecimentos a Sousfa pelo esclarecimento.

                              Comment

                              Working...
                              X